Dia Mundial do Coração: Previna-se de doenças cardíacas e prefira uma vida mais saudável

No Dia Mundial do Coração reflita sobre a saúde do seu coração e conheça as melhores escolhas para o futuro

Complemento solidário para idosos
Complemento Solidário para Idosos: como funciona?
10 Agosto, 2017
Imagem de duas idosas
Dia Internacional do Idoso: O papel dos idosos ao longo da história
21 Setembro, 2017
Imagem de um coração vermelho

“Ouça o seu coração”. A expressão é antiga e muito utilizada. Ora recorde. Quantas vezes ouve esta expressão em filmes de romance? Quantas vezes lhe aconselharam a fazê-lo? Independente de onde ouviu esta expressão, a verdade é que ideia de que os nossos corações são fundamentais para nós sempre existiu. Talvez seja porque o coração é, literalmente, o motor que nos impulsiona como seres humanos.
Por tudo isto, nada melhor que o “Dia Mundial do Coração” para “ouvir o seu coração” e fazer um balanço da saúde deste importante órgão. E saiba que, por vezes, pequenas mudanças fazem grandes diferenças – ajudando-o a proteger-se de doenças cardíacas e a seguir o bom caminho para um estilo de vida mais saudável. A Stannah ajuda-o!

O que é o Dia Mundial do Coração?

Afinal, o que é o Dia Mundial do Coração? É um evento global anual, criado pela Federação Mundial do Coração (World Heart Federation), com objetivo de divulgar os perigos das doenças cardiovasculares e prevenir possíveis acidentes, através de medidas e sugestões que incentivam a prática de um estilo de vida mais saudável.

As doenças cardiovasculares (DCV) continuam a ter um impacto devastador sobre a população mundial, matando 17,5 milhões de pessoas por ano – tornando-se o assassino número um entre doenças não transmissíveis (ou crónicas).

O objetivo é reduzir drasticamente o número de mortes por DCV evitáveis causadas por fatores como dieta fraca, falta de atividade física e uso do tabaco. Das campanhas nas redes sociais a eventos localizados, o Dia Mundial do Coração é uma ótima oportunidade para consciencializar as pessoas sobre este assunto. Por isso, neste dia, realizam-se campanhas em Portugal e por todo o mundo várias iniciativas para promover hábitos de vida saudáveis.

Manter o coração saudável equivale a ter uma vida mais longa. Então, este dia pode ser o mote perfeito para deixar de fumar, para começar a fazer exercício físico e a alimentar-se melhor, entre outros hábitos saudáveis. Ao longo do texto, perceberá como estas dicas o vão ajudar a prevenir doenças cardíacas.

As principais doenças cardíacas

As doenças cardíacas podem surgir a qualquer idade. Designam todas as alterações patológicas que afetam o coração e os vasos sanguíneos, sendo mais frequente nas pessoas mais idosas.

A possibilidade de ter uma doença cardiovascular, como pressão alta ou insuficiência cardíaca, aumentam à medida que envelhecemos, sendo mais comuns depois dos 60 anos. Isto acontece não só devido ao envelhecimento natural do corpo, que leva à diminuição da força do músculo cardíaco e aumento da resistência nos vasos sanguíneos, mas também devido à presença de outros problemas como diabetes ou colesterol elevado.

Imagem da medição da pressão arterial

Conheça as principais doenças cardíacas:

  • Insuficiência Cardíaca: a insuficiência cardíaca é uma condição na qual o coração não consegue bombear sangue suficiente para todos os locais do corpo. Quando uma pessoa sofre uma insuficiência cardíaca, isso não é sinal de que o seu coração parou ou está prestes a deixar de funcionar, mas sim que não consegue bombear o sangue da maneira mais eficaz.
  • Hipertensão arterial: A hipertensão arterial é um dos problemas de saúde mais comuns do século XXI. A sua designação revela uma leitura elevada da pressão do sangue que corre no interior do coração e das artérias. A hipertensão arterial, tal como a Osteoporose,  é conhecida como a assassina silenciosa porque, geralmente, não apresenta qualquer tipo de sintomas. Algumas pessoas não sabem que a têm e, na maioria das vezes, só a descobrem quando surge algum problema com o coração, cérebro ou rins.
  • Colesterol elevado: O colesterol é uma gordura essencial para o bom funcionamento do corpo humano e apresenta duas origens diferentes: uma parte produzida pelo próprio organismo, em particular pelo fígado, e outra parte obtida através da alimentação, em particular pela ingestão de produtos animais, como a carne, os ovos, e os produtos lácteos. O colesterol produz hormonas, vitamina D e substâncias que ajudam a digerir os alimentos. No entanto, o organismo humano precisa apenas de uma pequena quantidade de colesterol para satisfazer as suas necessidades.
  • Acidente Vascular Cerebral (AVC): Um AVC é uma doença provocada por um distúrbio na corrente sanguínea de uma parte do cérebro devido à oclusão ou rutura de um vaso sanguíneo. A interrupção da corrente sanguínea priva o cérebro de nutrientes e oxigénio, o que resulta na lesão das células na zona do cérebro afetada

A consciência do risco das doenças cardiovasculares é o primeiro passo na prevenção e, como diz o velho ditado, “mais vale prevenir que remediar”. De acordo com o Fundação Portuguesa de Cardiologia, é importante que acompanhe os níveis de glicose no sangue, pressão arterial, níveis de colesterol, peso e índice de massa corporal (IMC). Estes números de saúde são indicadores significativos do risco cardiovascular e trabalhar para que estes mantenham um registo normal só pode aumentar a saúde do seu coração.

Dieta equilibrada: a receita perfeita para um coração saudável

Manter uma dieta equilibrada através de escolhas nutricionais sólidas é um dos aspetos mais importantes para manter ou melhorar a sua saúde do seu coração.

Uma alimentação saudável contém muitos vegetais e frutas, hidratos de carbono como pão de mistura, massa e arroz, lacticínios magros ou meio gordos, mais peixe do que carne, água à discrição e contém pouca gordura (especialmente a gordura saturada), sal e açúcar.

Imagem de um prato rico em alimentos saudáveis

Uma dieta equilibrada, rica em alimentos saudáveis, ajuda a melhorar a saúde do coração

A Fundação Portuguesa de Cardiologia disponibiliza as seguintes dicas para “alimentar o seu coração”:

  • Prefira o peixe, carne ou aves ao natural, em vez de processado (ex.: rissóis, croquetes, panadinhos, etc);
  • Escolha cereais e derivados integrais, que contém um elevado teor de fibras, mas para todos eles verifique sempre os teores de sal/sódio (pão, massa, arroz);
  • Não se esqueça que as leguminosas são fundamentais na sua sopa e no seu prato. São alimentos que deve ter sempre na sua despensa (feijão, grão e lentilhas, por exemplo);
  • Reduza as bebidas açucaradas e os sumos de frutas – em vez disso, escolha água ou sumos não açucarados;
  • Tente comer 5 porções (cerca de um punhado) de frutas e vegetais por dia – podem ser frescas, congeladas, enlatadas ou secas;
  • Mantenha a quantidade de álcool que bebe dentro das diretrizes recomendadas;

Estas mudanças alimentares atrás referidas podem fazer diferença na saúde do seu coração, ajudando a prevenir doenças cardíacas. Mas não só.  Fazer escolhas alimentares mais saudáveis também ajuda a diminuir o risco de diabetes e outras condições relacionadas à obesidade e colesterol alto. Por tudo isto, comece já a fazer uma dieta equilibrada.

Exercício físico: ajuda o coração a viver mais e melhor

Escolher uma dieta equilibrada é importante na promoção de saúde do coração, mas praticar exercício físico também. A atividade física não só o ajuda a viver mais, como também o ajuda a prolongar a sua saúde, a sua destreza mental e a sua independência para usufruir de uma maior qualidade de vida.

 

exercite-o-seu-coracao

A inatividade, por outro lado, pode ser um fator significativo nas doenças cardiovasculares, por isso, é importante estimular seu coração através da prática de atividade física. A Federação Portuguesa de Cardiologia recomenda o seguinte:

  • Praticar, pelo menos, 30 minutos de atividade física moderada, se possível, todos os dias da semana. Também resulta praticar durante o dia, várias vezes 10 minutos;
  • Escolha atividades que aprecie para que seja mais fácil fazer exercício físico. Se não gosta de ginásios, por exemplo, escolha caminhar, faça aulas de ioga ou faça jardinagem. O que importa é que se torne ativo à sua maneira: seja em casa, na comunidade, com o seu grupo de amigos, etc;
  • Prefira atividades que melhoram a resistência, a flexibilidade e a força são as melhores. Por exemplo, caminhar, nadar, dançar são particularmente benéficas para o coração, pulmões e sistema circulatório. Por outro lado, stretching, ioga, tai chi e trabalhos de jardinagem mantém as articulações flexíveis. As atividades de força como levantar pesos ou latas de feijão, fazer flexões em pé contra a parede, sentar-se e levantar-se em sessões repetidas vão fortalecer os seus músculos e melhorar o seu equilíbrio, o que ajuda a prevenir as quedas, uma das grandes causas de morte por acidente, em pessoas com mais de 65 anos.
  • Fale sempre com o seu médico antes de iniciar um programa de atividade física;

Os benefícios podem começar a fazer-se sentir na primeira semana de atividade física regular. Por exemplo, a pressão arterial pode começar a baixar e talvez se sinta mais energético e relaxado. Passados três meses, poderá sentir-se com mais saúde, com uma postura mais correta, músculos e ossos mais fortes, mais confiante e com uma perspetiva mais positiva em relação à vida.

Diga adeus ao tabaco

Até agora, abordamos alguns fatores importantes que podem ajudá-lo a melhorar a sua saúde cardíaca e reduzir o risco de doenças cardíacas (DCV), mas ainda não mencionamos aquele que talvez seja o passo mais importante na reversão da doença cardíaca. De acordo com a Federação Portuguesa de Cardiologia, “parar de fumar é a melhor coisa que pode fazer para melhorar a saúde do coração”. Deixar de fumar é, pois, a medida preventiva mais eficaz para diminuir os riscos de enfarte do miocárdio, angina de peito, doença arterial periférica e acidente vascular cerebral.

Imagem de um cigarro partido

Como forma de ajudar, a Federação apresenta os benefícios de deixar de fumar:

  • Ao fim de 20 minutos, a pressão arterial e a frequência cardíaca começam a normalizar e a temperatura das mãos e pés volta ao normal;
  • Às oito horas, os níveis de monóxido de carbono normalizam;
  • Às 24 horas, o risco de doença cardiovascular começa a diminuir;
  • Ao fim de duas a três semanas, a circulação melhora e o risco de enfarte agudo do miocárdio continua a diminuir e há ainda uma melhoria de 30% da função pulmonar;
  • Ao fim de um a nove meses, a falta de ar e a tosse diminuem, bem como as alergias e as infeções respiratórias;
  • Ao fim de um ano, o risco de ataque cardíaco desce para metade;
  • Aos cinco anos, o risco de ataque cardíaco e de acidente vascular cerebral torna-se igual ao de uma pessoa que nunca fumou;
  • Aos quinze anos, o risco de cancro do pulmão é praticamente igual ao dos não fumadores;

O tabagismo é responsável por mais de 8000 mortes em Portugal, das quais cerca de 4000 por doenças cardiovasculares. Embora a opinião pública esteja mais sensibilizada para associar o tabagismo à ocorrência de cancro, a verdade é que, devido ao tabaco, morrem mais pessoas por doença cardiovascular. De facto, mais de um terço das mortes por doença cardiovascular é devido ao fumo do tabaco.

Por onde começar?

Imagem de um idoso a desenhar um coração

Decidiu, então, começar a tratar melhor a saúde do seu coração, mas não sabe por onde começar? Ficamos felizes por tomar essa decisão e não se preocupe por não saber por onde começar. Siga as nossas sugestões e estará no caminho certo.

Agendar um exame com o seu médico de família é um excelente primeiro passo. Dependendo da sua idade, história familiar e outros fatores de risco, será ou não reencaminhado para um cardiologista. Acompanhe seus números e estabeleça metas para melhorar a saúde do coração. Reduza os alimentos processados e troque lanches açucarados e refeições gordurosas em favor de alternativas mais nutritivas. Certifique-se de exercitar-se regularmente e manter-se em movimento, mesmo que isso apenas signifique uma abordagem mais ativa de sua vida diária. Se você já está lutando com os efeitos de um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral, a atividade física deve ser moderada e deverá considerar fazer algumas adaptações na sua casa para tornar sua vida mais fácil e mais segura, como, por exemplo, um elevador de escadas, uma scooter de mobilidade ou outros auxílios à mobilidade.

Estas mudanças podem parecer simples, mas saiba que pequenas alterações no seu dia a dia representam grandes progressos na prevenção de doenças das doenças cardíacas. Por isso, comece já a tratar da saúde do seu coração.  No Dia Mundial do Coração, ouça o seu coração e avance no caminho para uma vida mais saudável!

 

Daniela Sepúlveda
Daniela Sepúlveda
Editora da Stannah Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O seu endereço de email não será publicado.