7 dicas para o calor, em especial para os idosos

Manter-se hidratado e evitar a exposição ao sol nas horas de muito calor são algumas das dicas para enfrentar o calor neste verão.

dicas para o calor na terceira idade

O verão chegou, as temperaturas altas vieram para ficar e conhecer as melhores dicas para enfrentar o calor é essencial para se manter protegido.

Para a maioria das pessoas, esta estação do ano é sinónimo de mais momentos de diversão e relaxamento ao ar livre. Mas o calor e o sol podem ser perigosos se as precauções adequadas não forem tomadas, especialmente para os idosos. Em Portugal, o aumento de incidências devido ao calor não são uma novidade. Todos os anos várias pessoas são levadas para as urgências hospitalares devido a um mau-estar provocado por uma excessiva esposição ao sol. Por isso, é importante tomar as devidas medidas de precaução. Veja em seguida as nossas dicas para se proteger do calor este verão.

Menu

Quais são os idosos mais vulneráveis ao calor?

Durante esta altura do ano, o número de óbitos também tende a subir devido às altas temperaturas. Um dos grupos mais vulneráveis às vagas de calor são os idosos e, embora todos nós tenhamos tendência a sofrer com as temperaturas altas, as pessoas idosas com problemas de saúde são mais vulneráveis ao calor. De acordo com a Direção-Geral de Saúde estes são os idosos mais vulneráveis ao calor:

Além disso, as pessoas idosas com demência devem ser especialmente vigiadas, pois, devido à natureza da doença, podem ignorar sintomas como a desidratação ou a temperatura corporal elevada. Por outro lado, os idosos com diabetes têm menos sensibilidade e poderão também ignorar estes sintomas. Adotar uma atitude preventiva pode ajudar os idosos a evitar complicações das suas patologias.

Dicas para enfrentar o calor este verão

A prevenção assume-se, então, como palavra-chave quando queremos evitar problemas maiores causados pelas temperaturas altas que se fazem sentir no verão. Como tal, disponibilizamos 7 dicas para se manter saudável e protegido

Beber agua é fundamental para um corpo hidratado

Dica 1: Hidratar, sempre!

O processo de envelhecimento está associado a várias alterações fisiológicas que podem afetar a capacidade do organismo em manter um equilíbrio de líquidos. Por isso, os idosos estão sujeitos a um risco mais elevado de atingirem o estado de desidratação do que os adultos mais jovens.

A desidratação numa idade avançada pode ter diferentes consequências, como por exemplo maior risco de queda, insuficiência renal ou hipertermia sob condições de temperaturas elevadas.

As consequências da desidratação podem ser graves, resultando, muitas vezes, na hospitalização da pessoa idosa. Assim, a identificação da desidratação é fundamental para prevenir, controlar ou reverter a situação, através de planos de intervenção precoces e adaptados a cada caso específico.

Por tudo isto, é importante que se mantenha sempre hidratado. Como a desidratação em pessoas de idade avançada acontece mais rapidamente, a ingestão de líquidos deve acontecer, obrigatoriamente, a cada DUAS HORAS – ou ainda menos, sendo que o idoso deverá ingerir 1,5l/ 2l de água por dia.

Devemos dar atenção especial aos idosos que sofrem de demência, pois eles podem ser mais afetados com a desidratação, já que não pedem para beber água e têm tendência a agasalhar.

  • Dicas práticas para toda a família:
    • É importante estar atento a sinais de desidratação. Cansaço físico e mental, aumento de cãibras musculares, secura da boca e axilas; dores de cabeça, pressão arterial baixa ou alterações da cor e odor da urina são algumas dos sinais de alerta de desidratação em pessoas com mais idade;
    • Garantir a acessibilidade a locais onde estejam presentes diferentes formas de hidratação (por exemplo: copos e jarros com água; máquinas dispensadoras de água);
    • Garantir boa acessibilidade às instalações sanitárias;
    • Oferecer fluídos regularmente: é importante beber independentemente de sentir sede e fazer a ingestão de fluídos em intervalos frequentes e pouca quantidade de cada vez;
    • Ter em conta as preferências do idoso (tipo de bebida, marcas, sabores, temperatura, tipo de utensílios utilizados);
    • Oferecer fluidos em rotinas específicas: antes e/ou depois da higiene do idoso; antes e/ou depois da fisioterapia ou outro programa de atividades; no momento da toma de medicação; num horário previamente definido de manhã e de tarde; às refeições; durante convívios sociais;
    • Analisar a densidade da urina mensalmente;
    • Manter um registo de hidratação para idosos em risco: usar copos graduados e/ou folhas de registo
voltar ao menu

Dica 2: Coma de forma equilibrada

Devemos manter sempre uma alimentação saudável, independente da estação do ano. No entanto, para se proteger do calor do verão, é importante assegurar uma alimentação saudável nesta estação do ano.

Com o calor também os processos digestivos são menos eficientes por isso é recomendado o consumo de alimentos mais leves. É aconselhável reduzir a ingestão de gorduras, carnes, fritos e condimentos. Deverá ainda evitar alimentos excessivamente processados e picantes e, ao invés, dar preferência ao peixe, dada a sua alta digestibilidade e reduzir a ingestão de calorias.

Melancia é a fruta do Verão

Uma dieta saudável bem equilibrada deve incluir o consumo regular de frutas e legumes, alimentos que, especialmente no verão, devem ser consumidos em grandes quantidades. Estes alimentos contêm líquidos em abundância pois são ricos em vitaminas e minerais e ajudam a combater eficazmente a desidratação causada pela transpiração excessiva. Além disso, o teor de fibras das frutas e legumes promove o bom funcionamento do trato gastrointestinal.

  • Dicas práticas para toda a família:
    • Elabore uma ementa semanal para controlar o tipo de alimentos que ingere. Nessa ementa, privilegie refeições leves sem muitos condimentos;
    • As sopas são uma ótima fonte de hidratação, contendo cerca de 88% a 93% de água. Paralelamente, são preparados culinários nutricionalmente muito interessantes pelo seu teor em vitaminas, minerais e fibras. Recomenda-se a inclusão diária de sopa de hortícolas, nos hábitos alimentares dos idosos, pelo menos às duas principais refeições;
    • Uma pessoa idosa deverá comer de 3 em 3 horas;
    • Incluir o consumo regular de frutas e legumes, alimentos que, especialmente no verão devem ser consumidos em grandes quantidades.

Dica 3: Vestia roupas confortáveis e claras

Em resposta ao calor, antes de sair de casa, os idosos devem vestir uma roupa clara para evitar a absorção dos raios solares. Devem também vestir roupa confortável que não fique justa ao corpo, calçar sapatos cómodos e arejados com meias de algodão para prevenir o humedecimento excessivo dos pés. Caso o idoso precise, deverá trocar de roupa as vezes necessárias para evitar que esta fique húmida da transpiração.

Proteger a cabeça da exposição direta aos raios solares também é uma dica muito importante para manter os nossos idosos saudáveis no verão. Estes devem utilizar um chapéu de abas largas e óculos com lentes escurecidas também é recomendado.

  • Dicas práticas para toda a família:
    • Verifique se a roupa da pessoa idosa é confortável o suficiente, pois, por vezes, o idoso pode ter perdido/ganho peso e as roupas não são adequadas ao seu corpo;
    • Esteja atento quando a pessoa idosa calça os sapatos. Veja se existem algum desconforto e pergunte se sente dificuldade a andar com aquele calçado;
    • Esteja atento à transpiração do idoso e faço-o sentir-se confortável para dizer que se sente transpirado. Algumas vezes, a vergonha leva a que as pessoas idosas não falem o que sentem;
    • Vá às compras com a pessoa idosa e incentive este a comprar chapéus e uns óculos com lentes escurecidas. Por vezes, os idosos não gostam destes acessórias, mas estes desempenham uma função muito importante na proteção contra o sol.
voltar ao menu

Dica 4: Evite a exposição direta ao sol nas horas de muito calor

A exposição ao sol é muito importante, pois, repõe a vitamina D, responsável pela suplementação do cálcio. No entanto, esta exposição deve ser feita com cautela e extrema atenção. A exposição direta ao sol nas horas de maior calor, isto é, das 11h às 16h, deve ser evitada pelos grupos de riscos, nos quais se incluem os idosos. Os banhos ou duches devem ser tomados com água morna e não quente para diminuir a temperatura do corpo.

Na rua, o ideal é o idoso caminhar pela sombra e fazer várias pausas em locais frescos (climatizados) para não desidratar.

Dica 5: Evite as bebidas com cafeína ou álcool

No verão, os idosos devem evitar ingerir cafeína (café, refrigerantes, alguns chás) ou bebidas alcoólicas, mesmo que frescas. Apesar de ficarmos com a ideia que estamos a “matar a sede”, a verdade é que tanto a cafeína como as bebidas alcoólicas não hidratam, logo, contribuem para a desidratação.

Dica 6: Utilize o protetor solar, e não só na praia

No verão, a vontade de sair à rua e desfrutar do bom tempo é comum a todos. No entanto, os idosos, enquanto pertencentes ao grupo de pessoas vulneráveis às altas temperaturas, devem proteger a pele do sol.

contacto com o sol com óculos escuros e chapeu

Por isso, sempre que haja contacto com o sol, seja na praia ou a andar ao ar livre, use protetor solar com um índice de proteção elevado (igual ou superior a 30) e renove a sua aplicação sempre que estiver exposto ao sol (de 2 em 2 horas) e se estiver molhado ou se transpirou bastante. Não se esqueça também do chapéu e dos óculos com proteção contra a radiação UVA e UVB.

Quando regressar da praia ou piscina, volte a aplicar protetor solar, principalmente nas horas de calor intenso e radiação ultravioleta elevada.

voltar ao menu

Dica 7: Manter a casa fresca

É importante que a sua casa esteja fresca e arejada para os momentos que passa na sua residência. Manter as persianas fechadas, especialmente nas horas de calor, é uma ótima opção para refrescar a casa. Pode abrir em alturas de menor incidência de calor para entrar luz natural.

É importante também que a casa da pessoa idosa não tenha equipamentos que produzam calor em demasia como, por exemplo, candeeiros e televisores mais antigos. Outra dica importante é manter a temperatura ambiente da habitação. Uma solução para os dias de calor são as ventoinhas ou os ares-condicionados, mas atenção, não exagere no frio nem coloque estes acessórias perto de si.

Golpe de calor ou insolação: o que fazer?

Um golpe de calor ou insolação é uma situação muito grave e que não deve ser desvalorizada. Um golpe de calor acontece quando o sistema de controlo da temperatura do nosso corpo deixa de funcionar corretamente e, consequentemente, deixa de produzir suor, o qual proporciona o arrefecimento do corpo. Alguns dos sintomas de um golpe de calor incluem febre alta, pele vermelha, seca e quenta, ausência de suor, náuseas, tonturas, dores de cabeças, perda parcial ou total de consciência.

 

idoso em exposição solar

Caso algum seu familiar ou conhecido apresente estes sintomas, ligue imediatamente para o número de emergência 112. Enquanto espera pela chegada da ajuda médica, deverá:

Tenha em atenção que caso a pessoa não seja tratada de imediato, as complicações podem ser graves, podendo afetar o cérebro, rins e coração. Na medida das suas possibilidades tente sempre seguir as medidas de precaução necessárias para evitar colocar-se em situações de risco e que possam dar origem a um golpe de calor ou insolação.

 

Agora, que sabe quais são as precauções necessárias para se proteger  do calor no verão, sugerimos que desfrute do bom tempo que se faz sentir nesta estação do ano e aproveite os momentos de diversão e relaxamento ao ar livre.

Escrito por: Stannah a 06-07-2017