Aprender algo novo na terceira idade

Na terceira idade, a chave para a felicidade é viver uma vida saudável e ativa. Para isso, nada melhor que aprender algo novo todos os dias. E na terceira idade são muitas as atividades possíveis.

prenda para o dia do pai
Dia do Pai. 11 ideias de prendas para o pai
16 Março, 2017
caminhadas para idosos
7 Atividades físicas para idosos
23 Março, 2017
Aprender algo novo na terceira idade

Aprender algo novo é sempre um desafio que traz inúmeros benefícios, principalmente na terceira idade. Porque chegamos a uma altura da nossa vida e decidimos parar de aprender? Não considera estimulante aprender algo novo?

A verdade é que a reforma é um momento temido por alguns e ansiado por outros. O fim da atividade profissional pode significar falta de ocupação. Mas veja isto de outra forma. Reforma pode significar ter tempo para fazer o que mais gosta. E nós vamos mostrar-lhe como! Todos os dias podem ser dias para se aprender algo de novo, para encarar novos desafios e ser feliz!

Precisamente por se sentir liberto dos compromissos e obrigações anteriores (trabalho e cuidar da casa e dos filhos), o idoso procura dedicar-se a atividades que sejam realmente significativas para ele. Na terceira idade, a principal razão para se querer aprender algo novo é um forte desejo de obter satisfação, autoafirmação e autorrealização.

Por isso, selecionámos algumas atividades para aprender algo novo na terceira idade:

Aprender um novo idioma

Aprender um novo idioma é sempre um desafio, seja qual for a idade da pessoa. Mas para um idoso torna-se algo aliciante, porque, para além de ocupar bem o tempo, exercita a mente de forma útil.

Envolver-se com uma nova língua tem várias vantagens, nomeadamente:

  • Exercitar a mente;
  • Sentir-se útil;
  • Ocupar o tempo e fazer novas amizades – encontrar pessoas com os mesmos interesses traz-lhe independência;
  • Poder viajar para sítios diferentes, onde a língua que aprendeu seja falada, permite-lhe não ficar dependente de excursões ou de familiares, transmitindo-lhe um sentimento de plenitude, de resgate de projetos anteriores;
  • Permite-lhe ficar mais ativo e animado – ter predisposição para o estudo, o que ajuda a memorização.

A língua mais procurada é, sem dúvida, o inglês, mas nada impede a escolha de novas línguas, como o Espanhol ou o Alemão, por exemplo.

Existem várias formas de aprender uma nova língua:

Escolas tradicionais de línguas: é provável que neste caso acabe numa turma com colegas mais jovens, o que é bom para a sociabilização, mas poderá ser um entrave relativamente à diferença no ritmo de aprendizagem;

Professor particular: é uma boa forma de ter atendimento personalizado, mas por ser individual é mais dispendioso. A parte menos positiva desta opção é que não promove o convívio social e a troca de experiências com outros;

Escolas exclusivas para idosos: grupos de pessoas da mesma idade, com ritmos e interesses semelhantes de aprendizagem, é uma boa opção! No entanto, estas escolas não existem em todas as cidades do país.

Estudar na Terceira Idade – Universidade Sénior

O aluno idoso empenha-se no processo de aprendizagem, porque sente a necessidade e a urgência de atuar no mundo e de se envolver em grupo ou em comunidade.

É justamente pelo desejo de estar bem no mundo e de contribuir para algo, que muitos idosos procuram novas aprendizagens, ao encontro do prazer da vida, independentemente das expetativas alheias.

Estudar ativa as conexões neuronais, em virtude de estar a aprender algo novo. Na terceira idade, os benefícios em aprender algo novo vão desde a melhoria na qualidade de vida até ao equilíbrio das funções cognitivas, da memória, da concentração e do raciocínio.

aprender uma lingua durante a reforma

A maioria dos idosos que frequentam Universidades Sénior já se encontram reformados e procuram uma ocupação que os preencha a nível pessoal.

De acordo com o Núcleo de Investigação Sénior (NIS), existem 102 instituições educativas seniores em Portugal (NIS, 2008), que estão espalhadas pelo Centro, Norte, área metropolitana de Lisboa, Alentejo, Algarve e Ilhas.

Estas universidades permitem ajudar as pessoas a reconhecer as possibilidades que as diferentes fases do envelhecimento oferecem, favorecendo uma melhor adaptação a este processo de aprendizagem, uma maior satisfação e a manutenção de ótimos níveis de qualidade de vida.

A educação para idosos é muito diferente da escolarização normal e está mais focada na concretização de programas e atividades que dêem resposta às suas necessidades e aos seus interesses.

Os projetos educacionais devem permitir: a reparação de deficiências e deformações educacionais, que os idosos possam ter sofrido ao longo da vida; a preparação para a reforma; a preparação para os novos papéis sociais; a preparação para uma fase de vida que pode trazer tempos de maior dependência e maior necessidade de cuidados.

Aprender a utilizar o computador e a internet

Atualmente, a terceira idade não é vista como sinónimo de distanciamento da sociedade. Os idosos têm apenas de acompanhar as transformações sociais e tecnológicas. Apesar de se pensar que isto não é habitual, a verdade é que os idosos adoram estar a par das novas tendências.

A informática permite a descoberta de si mesmo, ao aprender algo novo que é considerado complexo. Trata-se de um universo com inúmeras possibilidades, para qualquer indivíduo, considerando-se uma porta de entrada para novas relações e conexões.

aprender a mexer no computador para idosos

A informática tem um papel muito importante na inclusão da Terceira Idade na sociedade ativa.

Habitualmente, os alunos da terceira idade começam a aprender como utilizar o computador e a internet sem grandes expectativas de aprendizagem. Muitos, têm a ideia, preconceituosa, de que a informática é para pessoas jovens. Essa resistência acontece devido ao medo de encarar a novidade. A informática aprende-se com paciência, prática e dedicação. O segredo para aprender a utilizar o computador e a internet é fazer a aprendizagem gradualmente, sem a introdução de muitas informações ao mesmo tempo.

Apesar desse preconceito, qualquer um de nós está sempre a tempo de aprender algo novo. Faça parte ou não do um grupo da terceira idade, saiba que pode, sim, aprender a dominar a informática e vir a ser considerado um utilizador do mundo digital.

Atividades recreativas

Jogos de memória

O envelhecimento pode implicar, entre outras coisas, a perda de memória. Os jogos de memória permitem estimulá-la, pelo que são altamente recomendáveis, por serem eficazes em prevenir o efeito da passagem do tempo. Aprenda algo novo e conheça alguns jogos de memória lendo o nosso artigo 7 atividades que melhoram a memória dos idosos e promovem o envelhecimento ativo.

aprender algo novo com as outras pessoas da mesma idade

São imensas as possibilidades de atividades recreativas para idosos, desde os jogos de tabuleiro aos jogos de cartas, mímica ou artesanato.

Mímica

A mímica é a arte de expressar pensamentos, conceitos e sentimentos, por meio de gestos. A mímica promove a interação social e o espírito de equipa. É uma ótima forma de aprendermos uns com os outros.

Artesanato

O Artesanato é uma atividade recreativa muito completa, porque permite ao idoso aprender sobre pintura, desenho, escultura, decoração, entre outras coisas. A arte estimula a criatividade e faz com que o idoso exponha as suas ideias e aptidões, o que ajuda a exercitar a mente.

Para conhecer mais atividades recreativas leia o nosso artigo Atividades e jogos para idosos em lares e centros de dia.

Atividades culturais

Música – aprender um instrumento musical

A música é, muitas vezes, utilizada como terapia e traz vários benefícios para a saúde e bem-estar, depois dos 50 anos.

Afasta a depressão, o stress, diminui a dor, retarda perdas de memória e ajuda na concentração. E quando a questão é aprender um instrumento, os ganhos são ainda maiores.

aprender a tocar um instrumento de musica

A música estimula as hormonas da felicidade, a dopamina e a endorfina

Quando se aprende um novo instrumento musical, são trabalhadas: a atenção; o foco; a memória; o raciocínio lógico; a toma de decisões; e a criatividade. Em termos emocionais, ajuda na autoestima. A satisfação de executar uma música aumenta os níveis de dopamina e endorfina, hormonas responsáveis pela felicidade.

Teatro

As aulas de teatro envolvem diferentes atividades relacionadas com as artes performativas e encenação. Estimula o aluno a desenvolver as capacidades interpessoais como conversar, discutir, falar em público e interagir emocionalmente.

Outra vantagem do teatro é o facto de permitir a estruturação de emoções por meio de expressão artística. A arte ajuda a deitar cá para fora todos os sentimentos reprimidos ao longo dos anos.

É uma boa forma de desbloquear as emoções e uma terapia que ajuda a lidar com as mudanças que a passagem dos anos traz, ajudando, também, a exercitar a mente e o corpo.

São várias as possibilidades de aprendizagem na terceira idade. Não se deixe vencer pela idade e aprenda algo novo! O que vai escolher para aprender primeiro? Deixe-nos o seu testemunho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.