808915050

Chamada gratuita

Solidão nos idosos: causas e soluções

A solidão é um dos problemas que mais afeta a população idosa em Portugal. Saiba o que pode causar este sentimento de solidão e o que pode fazer para o evitar.

Escrito por: Stannah a 04-04-2017

Com o aumento da esperança média de vida, o tema da solidão nos idosos torna-se cada vez mais recorrente nas conversas do dia a dia e abordado de diferentes formas nos meios de comunicação.

O problema é evidente: há cada vez mais idosos em situação de total isolamento e depressão torna-se, por isso, urgente perceber porque razão tal acontece e o que podemos fazer enquanto sociedade para combater esta realidade.

Existem vários fatores pessoais e sociais que contribuem para que levam ao isolamento dos idosos:

  • A solidão associada à reforma
  • O isolamento após a viuvez
  • Abandono pela família
  • Consequências da solidão
  • Oque podemos fazer para combater esta realidade

A solidão associada à reforma

Os primeiros sinais de solidão e isolamento que uma pessoa idosa vivencia acontece algum após a entrada na reforma. Após o término da atividade laboral, há uma mudança de padrão de vida que pode ser bastante abrupta e a sensação de perda de utilidade social e o afastamento de alguns contatos sociais que se revelavam fundamentais para uma vida social mais ativa.

Após um período inicial de descontração em que o idoso vê todos os lados positivos da reforma, como a tranquilidade que esta pode trazer ao seu dia a dia, o isolamento associada à falta de atividades para realizar durante o dia podem levar ao declínio do bem-estar e originar sentimentos de tristeza e descontentamento com a própria vida.

O isolamento após a viuvez

Segundo alguns estudos, as pessoas viúvas têm mais tendência a isolar-se e a sofrer as consequências desse isolamento do que as pessoas casadas. A perda do parceiro de toda a vida pode gerar sentimentos profundos de solidão, depressão, abandono e  desamparo.

A família e os amigos mais chegados são absolutamente essenciais durante este período, pois são o suporte que ajudam a criar laços de convívio, suporte e partilha de experiência que levam o idoso a querer retomar uma vida social de forma gradual e não a isolar-se do mundo por completo.

Abandono pela família

Esta é provavelmente a forma de abandono que mais frequentemente é relatada nos meios de comunicação social e pelas mais tristes das razões.

Segundo uma estimativa do Ministério da Saúde, por ano, ocorrem cerca de 100 a 150 situações de abandono nos hospitais portugueses; e segundo um estudo da Organização Internacional do Trabalho, Portugal é dos países da europa onde as pessoas idosas mais são abandonadas.

O abandono por parte de familiares faz com que o sentimento de solidão seja ainda mais acentuado, principalmente se forem abandonados em lares ou instituições similares.

solidão idosos

Consequências da solidão

A solidão está intrinsecamente ligada à nossa saúde, uma vez que esta pode condicionar de forma severa o nosso bem-estar físico e mental.

Estudos recentes sugerem que a solidão pode ter o mesmo impacto que o stresse crónico na nossa saúde mental e pode, igualmente, afetar o sistema endócrino e imunológico, contribuindo para o aparecimento de diferentes doenças.

Estima-se que 70% dos idosos em Portugal têm um problema de saúde grave associado à solidão, sendo que as mais comuns associadas à solidão são a hipertensão arterial, as infeções repetidas, a ansiedade e a depressão. segundo um estudo feito por Reis e Fradique (2001, cit. Por Reis, 2005), relativo ao isolamento e à saúde e doença, cerca de 20% dos idosos destacaram o isolamento social e a solidão como causa de uma doença.

(fonte: Portugal Sénior)

Como combater a solidão?

Com o aumento da população idosa e isolada em Portugal, aumenta também a necessidade de desenvolver meios para melhor atender às dificuldades deste grupo populacional em crescimento. É necessário proporcionar à população idosa qualidade de vida e um envelhecimento saudável e verdadeiramente feliz.

É certo que são várias as causas que impulsionam o isolamento e a solidão nos idosos. No entanto, o avançar da idade não é necessariamente sinónimo de solidão ou isolamento. Prova disso, são os inúmeros idosos que mantêm uma vida social ativa, onde os seus dias são preenchidos por diferentes atividades e, principalmente, por planos para o futuro, seja este futuro imediato ou relativamente distante.

E como é que o fazem? Escolhem dedicar o seu tempo a atividades simples, mas cujo o preenchimento pessoal traz consigo uma grande tranquilidade e alegra: desde ler, a ouvir rádio, ver peças de teatro, visitar museus, até à jardinagem ou outras atividades mais físicas, o fator tempo deixa de ser um impedimento para se dedicarem a tarefas que lhes dão realmente prazer e preenchem os seus dias. Eis um rol de atividades que pode experimentar ou sugerir a um familiar idoso que experimente:

  • Fazer voluntariado – Tornar-se voluntário pode trazer muitos benefícios. Pode conhecer novas pessoas, fazer parte de um grupo que partilha os mesmos ideais e vivenciar novas experiências. Praticar e sentir o altruísmo, a prática de fazer o bem por outro ser humano poderá dar outro sentido à sua vida e contribuir para a sua felicidade e bem-estar, diminuindo o sentimento de solidão.
  • Investir na relações sociais – Organizar almoços, jantares ou pequenos lanches em família ou com amigos é uma ótima forma de afastar sentimentos de solidão e tristeza. Uma boa conversa com os familiares chegadas ou um jogo divertido com os netos podem fazer maravilhas pelo seu bem estar.
  • Frequentar um curso – Esta é uma ótima oportunidade para ocupar o tempo livre. Pode optar por aprender uma língua nova ou escolher algo ligado às artes, como a dança ou o teatro por exemplo. A convivência com o grupo de colegas num curso pode ajudá-lo a encontrar pessoas que partilham interesses comuns e oferecer-lhe um sentimento de pertença à comunidade.
  • Adoptar um animal de estimação – Os animais de estimação, em especial os cães e gatos, oferecem vários benefícios sendo um deles a prevenção ou diminuição de sentimentos de solidão. Ter um animal de estimação é sinónimo de companhia constante. Além disso, é possível que faça novas amizades ou reveja conhecidos enquanto passeia o seu animal de estimação.

Infelizmente, são muitos os idosos que, devido à sua condição de mobilidade, não conseguem praticar algumas das atividades sugeridas. Aliás, a maior parte das pessoas que sentem a sua mobilidade afetada acabam por ficar a maior parte do tempo em casa, agravando o sentimento de solidão. Se pertence a este grupo de pessoas, não desanime. Existe uma solução para pessoas com mobilidade reduzida que sonham manter uma vida ativa e livre .

Com este equipamento de mobilidade pode recuperar a sua independência e liberdade de movimento. Assim, poderá sair de casa e aproveitar o seu tempo livre para fazer o que mais gosta.

Procure novas atividades que o possam estimular e levar a sair de um qualquer estado de tristeza e isolamento e, acima de tudo, procure encontrar nestas atividades a tranquilidade e felicidade serena que merece vivenciar no seu dia a dia.

Fontes: 

  • http://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/3596/1/MonografiaAndreiaFernandes.pdf
  • https://rr.sapo.pt/2015/09/28/pais/idosos-de-portugal-sao-dos-mais-abandonados-na-europa/noticia/35332/
  • https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/2608/1/ulfp037460_tm_tese.pdf
  • https://www.sns.gov.pt/institucional/ministerio-da-saude/